Os benefícios da polinização em morangos

No Brasil, a cultura do morango encontra-se difundida em regiões de clima temperado e subtropical, onde se produz morango para consumo in natura e para a industrialização. Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os maiores produtores.

Nos últimos anos a introdução de novas variedades (dia curto, longo e de dia neutro) de morango tem possibilitado seu cultivo em várias regiões do país. Com a oferta de mudas durante um período maior, o produtor pode escalonar seu plantio, ofertando morangos aos seus clientes praticamente o ano todo. As variedades de dia neutro são as mais plantadas no sistema de plantio em bancadas com substrato (hidroponia em substrato), principalmente as variedades  Albion e San Andréas.

Anualmente o país cultiva cerca de 4.500 ha de morango (Fragaria x ananassa Duch.), com uma produção estimada de 165.000 toneladas. Assim a produtividade média é de cerca de 30 ton/ha.

O morango, tradicionalmente cultivado em campo aberto, teve o sistema de cultivo modificado para ambientes protegidos (Figura 1), que proporcionam melhores condições ao desenvolvimento da planta, como o aumento da frutificação e produção comercial, conferindo maior proteção aos frutos. Entretanto, para que a produção de frutos de morango seja de qualidade necessita, além de um manejo nutricional adequado e controle de pragas, de uma perfeita polinização cruzada. A polinização das flores é possível na presença de agentes polinizadores, principalmente insetos e vento, frequentemente ausentes nos ambientes de cultivos protegidos.

Figura 1: Colônias de abelhas instaladas em estufa com plantação de morango para a realização do Serviço de Polinização Agrobee. (Fonte: Agrobee)

Cada ‘semente’ da fruta morango é desenvolvida através da estrutura feminina da flor; portanto, se a estrutura feminina recebeu o grão de pólen e foi fecundada, o desenvolvimento irá ocorrer. Porém, aquelas estruturas femininas que não receberem o grão de pólen e, consequentemente, não forem fecundadas não irão se desenvolver, e assim, a fruta ficará com deformações (Figura 2). Assim, a presença de abelhas para a polinização aumentam as chances de todas as estruturas femininas serem polinizadas.

Figura 2: Morango deformado devido à polinização ineficiente. (Fonte: Agrobee)

Benefícios da Polinização realizada por abelhas:

  • Melhora na formação do fruto (- 76% de deformação)
  • Aumento da doçura (+ 16% no ºBrix)
  • Aumento do peso dos frutos (+13% no peso)
  • Aumento tamanho dos frutos
  • Coloração vermelha mais intensa
  • Atingem grades de classificação comercial mais elevadas
  • Frutos mais firmes, com maior tempo de prateleira

Literatura científica recomendada

ANTUNES, L.E.C., REISSER JÚNIOR, C. Produção de morangos. Jornal da Fruta, Lages, v.15, n.191, p. 22-24, 2007.

ANTUNES, O. T.; CALVETE, E. O.; ROCHA, H. C.; NIENOW, A. A.; CECCHETTI, D.; RIVA, E.; MARAN, R. E. Produção de cultivares de morangueiro polinizadas pela abelha jataí em ambiente protegido. Horticultura Brasileira, v. 25, n. 1, p. 94-99, 2007.

ANTUNES, L. E. C; BONOW, S. ; JUNIOR, C.R. Morango Crescimento constante em área de produção. Campo e Negócios, Anuário HF, p. 88-92,  2020.

BRAGA-MALAGODI, K.S. A polinização como fator de produção na cultura do morango. Comunicado Técnico 56, Embrapa, 2018.

Assine a nossa newsletter para ficar por dentro de todas as novidades da Agrobee.

Ao se inscrever você concorda com os termos de uso e política de privacidade.

POLÍTICA DE COOKIES AGROBEE
 
  • O QUE SÃO COOKIES?

  Cookies pequenos arquivos de textos armazenados em seu computador ou dispositivos móveis, criados pelos sites que você visita e que são salvos no seu navegador de Internet. Esses arquivos contêm informações que servem para identificar que é você que está navegando pelos sites que você visita. Normalmente, não ocupam espaços e servem para que a experiência de navegação seja mais eficiente e evite que ou usuário tenha que digitar tudo novamente, caso a conexão caia ou volte mais tarde para continuar de onde parou.   Os cookies podem ser persistentes e de sessão. COOKIES PERSISTENTES: Eles são formas de cookies que armazenam as preferências do usuário como por exemplo idioma utilizado, temas, últimas pesquisas, informações preenchidas em formulários de cadastro, de forma que possam ser lembrados conforme a navegação do usuário. COOKIES DE SESSÃO: Os cookies de sessão não são armazenados e são excluídos permanentemente assim que se fecha a página da Internet ou a navegação é encerrada.
 
  • FINALIDADE DOS COOKIES USADOS PELA AGROBEE

  A Agrobee utiliza o Google Analytics e cookies de leads e de churn a partir do RD Station para tratativa de leads para obtermos as seguintes informações:
  1. performance e estatísticas de acesso ao site, como por exemplo: dia, hora, novos usuários, quantidade de acessos, tipo de dispositivo que acessou o site (computador ou celular) e quantidade de visualizações;
  2. cadastro de e-mail automático do endereço de e-mail e contato para recebimento do bee-book;
  3. identificação de usuários do aplicativo oriundos a partir do website da Agrobee, proporcionando melhoria no processo de login e autenticação dos usuários;
  4. memorizar as preferências dos usuários que acessam as páginas online;
  5. mensurar o apelo de conteúdos e campanhas veiculadas;
  6. analisar o fluxo e volume de cliques, mapa de calor e acessos no website.

  • DO CONSENTIMENTO DO USUÁRIO DO WEBSITE

  Você pode aceitar e gerir o uso de cookies no website da Agrobee, podendo configurar no próprio dispositivo ou navegador se deseja declinar os cookies, podendo, inclusive, usar aplicativos ou extensões que o façam. Disponibilizamos o consentimento do uso de cookies no website para que você faça a escolha de forma livre, inequívoca e transparente dos mesmos. A Agrobee declara que se utilizará das configurações do dispositivo e do navegador para aplicar ou não essas disposições a partir das suas preferências.
Open chat